27.4.11

Não tenho escolha e tu sabes que não. Os meus olhos nunca seriam iguais, assim como os teus só transmitiriam a frieza do teu coração e a mágoa das nossas palavras. Nada vai mudar aquilo que fomos nem o que fizemos, mas agora eu vou mudar o meu futuro e deixar-te no meu passado, para sempre. Mesmo que venhas eu não te quero aceitar de volta, não consigo, não pelo que fiz mas pelo que fizemos um ao outro ao longo de tanto tempo e não o conseguimos encarar, não conseguimos respeitar e muito menos conseguimos aceitar, e acredita que esse foi o nosso maior erro. Durante todo este tempo nunca soube bem como estar a teu lado, não por medo mas por não saber o que irias fazer, por não conseguir prever as tuas acções ou as tuas frases. Aí a vulnerabilidade de um ser que eu sempre rejeitei aparece e tu consome-la com uma energia bruta da qual eu não posso travar, tendo forças apenas para esconder para mim as pequenas coisas que não podes saber. Sinto raiva de mim mesma, sinto que preciso de provar algo e que não o tenho que fazer, nunca mais.
Mas o fim chega tão rápido como o ínicio e eu não te quero ao meu lado, não por não me seres importante mas porque não te quero fazer (mais) sofrer, e acredita que sofrimento não te iria faltar se partes de mim que guardo bem fundo do meu ser te fossem reveladas. Não são más, são sufocantes, e aí terias de viver com a certeza que o sofrimento iria abalar o teu coração, e eu não quero isso para ti. Eu vi muito de ti que nunca te contei, por vezes tenho medo de ter visto demais, mas não te condeno, aprendemos com todos os nossos erros, e posso estar a cometer um agora, mas eu não te quero em mim, nunca mais. Olha para mim! Vê aquilo que te mostrei que tanto odiaste e renegaste, olha para mim e vê essa pessoa má que imaginaste! Vive nessa mentira que fiz apenas para ti e parte com um sorriso nos lábios a dizer que nos meus olhos os teus nunca voltaram a tocar, porque assim eu sorrirei também e vou dizer que desta maneira vais ser feliz.
Levas de mim tudo aquilo que precisas e que sempre te falei, não ficarei com nada teu para além das memórias felizes que em tempos me deste; tudo o que te prometi é teu, (não precisas de mim).

Ficarás sempre no meu coração MG.

(desculpa, mas não te posso contar, não ias aguentar...)

(não olhes para trás, eu já desapareci...)

3 comentários:

Denise disse...

Que bonito, adorei mesmo ') e se achas que é isso o melhor, é isso que deves fazer. Como eu te entendo(...)

Mafalda disse...

Adorei o texto, dos melhor que por aqui vi*

Denise disse...

Vais ver que vais conseguir :)