5.9.12

Não sou nem nunca serei aquilo que desejam para mim. O meu espírito não é este, preciso de sentir aquilo de que tanto vós estiveram a fugir. Preciso do vento, preciso de ser parte do selvagem, de não ter regras nem viver para algo que tenha um fim definido, que seja diferente e não previsível. Qual será o bom de seguir sempre uma linha recta? Que vontade de viver é que isso dá? Não, preciso de mais, de paz, de sossego, de estar longe do mundo mas perto de mim.
Estranho e abstracto, quero virar animal solitário, correr por onde ninguém foi e viver onde ninguém quer, sentir o que todos receiam e sorrir por todo o medo que vocês sentem do desconhecido e do diferente.
Não sou como vós, não vivo para o social ou me visto para agradar quem me olha, sou e vivo para mim. Deixei à muito de me importar com o que dizem, vivo na minha realidade e não na esfera que foi criada com um fim de não podermos sair. Posso não ser feliz todos os dias, mas quando o sou é sincero e isso basta-me. Chega de hipocrisia, minha gente.

14 comentários:

sarah evelyn disse...

Como escreves bem!!Estou a seguir teu blog,bjs*-*

Rita disse...

Acho que este texto poderia ter sido escrito por mim, com toda a sinceridade!
É incrível como as pessoas têm medo do desconhecido quando é isso que mais me atraí e é completamente insano como as pessoas começaram a viver para os outros em vês de viver para elas!

Larissa Canziani disse...

lindo.

Te espero: http://larissacanziani.blogspot.com.br/
participe dos sorteios.

Rita disse...

Pode ser que quando as pessoas se aperceberem do quanto é importante um pouco de insanidade na vida seja tarde de mais!

Obrigada, eu já sigo o teu à muito tempo, de que dizer que adoro! Gosto especialmente da forma como dizes as coisas sem grande medo de retaliação!! :)

Filipa disse...

Eu quero escrever mas nunca sei sobre que, ou se vai ficar algo que as pessoas vão gostar de ler, ou seja, não tenho escrito nada de jeito. Mas este teu texto está muito bom, parabéns (;

http://pontasdeternura.blogspot.pt/

Filipa disse...

E vai-me muita coisa no coração mas parece que já não consigo expressar para as palavras. A mim disseram-me que Ciências da Comunicação está com taxa de empregabilidade quase nula.

Gui disse...

olá querida, tenho um desafio no meu blog para ti :) espero que participes.

Filipa disse...

Eu estava muito inclinada para ciencias da comunicação dado o meu gosto pela escrita mas se for para direito também consigo depois estar relacionado com a escrita.
http://pontasdeternura.blogspot.pt/

Ana disse...

olá querida!* o meu namorado que está bastante em baixo. ele só vai concorrer à 2ºfase para acesso à faculdade e o que o preocupa é q só restam 2 vagas, o que no meio de muita gente é praticamente 0!! o que ele quer é mesmo aquele curso (educação musical), por ele não concorria para mais lado nenhum, se não fosse a mãe e a família a dizer para ele colocar mais opções. bem, escusado é dizer q ando pior que ele. também não quero que vá para uma coisa que não goste, não vale a pena. o que achas?
(passo a explicar: o meu namorado o que quer mesmo seguir é trompete, e como ele ainda não tem bases suficientes para entrar em instrumento (anda apenas no 5ºgrau do conservatório) e para recuperar, ia estar 3 anos a fazer o curso de educação musical, que é uma coisa que também gosta e o ia ajudar na recuperação.
é sempre triste quando estamos iludidos e com esperanças de entrar e vai-se a ver só restam duas vagas...
mas acho que deve ser um tédio ir para aquilo que se não gosta, certo?)
beijinho*

Catarina disse...

Olá querida Ana! (desculpa, mas não consegui encontrar o link para te responder).

No meu ponto de vista, acho que devemos fazer sempre aquilo que nos faz felizes, devemos lutar e lutar mesmo que todos nos deitem a baixo e nos apontem o dedo dizendo que algo não poderá dar futuro. Se realmente quisermos conseguimos tudo da vida, basta apenas termos a força dentro do nosso coração e a certeza que o fazemos por gosto e dedicação. Eu acho que ele deveria arriscar, mesmo com todas as dificuldades, mas terá de ser uma escolha somente dele.
Espero ter ajudado e que consigas ler a minha resposta! Beijinhos**

Ana disse...

(eu não tenho blog, responde sempre por aqui, querida!)
o meu namorado tinha dado um tempo à relação, porque não sabia o que realmente sentia..
acabou tudo em bem, felizmente! :) após 2 semanas de sofrimento, estamos juntos de novo e ele entrou para a faculdade no curso pretendido :)
agora o que me perturba mesmo é o facto de não ter tanto tempo para mim e andar sempre numa roda viva, sim, é que ele não pára e está apenas no 2º dia...! não estava nada habituada a isto, nada mesmo, mas pronto, vou aprendendo!
bem, é isto e ele já amanhã ter um jantar de caloiro e festa até de MANHÃ :((
apoio precisa-se!
beijinho, obrigada por tudo

Ana disse...

ando bastante em baixo.. não confio em mim, nunca confiei, nunca fui segura de mim. mas agora, não sei o que se passa, parece que está tudo a custar mais.
acho-me feia, apesar de todos dizerem o contrário!
podes-me dar o teu email para eu te enviar fotos minhas e dizeres, sinceramente, aquilo que achas?

Catarina disse...

Para Ana:

Oh linda, não digas essas coisas, todos somos lindos e maravilhoso à nossa maneira porque se formos todos iguais acaba por perder o encanto que a nossa essência tem, o que temos de melhor na nossa vida. Não ligues a esteriótipos, não ligues ao que vês e ao que ouves, as maioria das pessoas nem se sabe avaliar a elas próprias e julgam tudo e todos.
Claro linda! Vou dar-te um mail que tenho só para coisas do blog, era de um blog antigo que tinha mas ainda está activo:

blog_da_piper@live.com.pt

Ana disse...

querida!, o que me trás aqui desta vez? :)
vai ser uma semana dura que aí vem, acho que 'dura' nem serve para definir os dias que se aproximam e pelos quais ando completamente aterrorizada.
ora, segunda-feira o meu namorado vai ter jantar de curso e depois vai para a noite e quinta-feira vai com a manada toda (caloiros e respetivos doutores) para uma discoteca no porto. 2 diretas semanais, que boooom!
sabes?, são nestes momentos que a nossa diferença de idades se destaca, pelo menos para mim. e não, não é ser egoísta, mais dói-me saber que ele pode fazer coisas que eu jamais neste momento poderei fazer, dói saber que ele está na noite e eu na cama. e sim, eu sei que o meu tempo chegará, mas e até lá?
não me cabe na cabeça que ele possa embebedar-se, fumar, estar e dançar com outras raparigas, etc etc etc! e eu sei que isto não é da minha conta e aliás, não sou a mãezinha dele, mas enoja-me só de pensar, enoja-me severamente! eu confio nele, a sério que sim, e sei que jamais me trairá, mas nada me tranquiliza, nada.
já sei que vai ser uma semana em que vai andar todo enfonado, cheio de sono e sem tempinho nenhum para mim.
que hei-de eu fazer? mais noites a sofrer, sofrer, sofrer.