3.9.12

Se me explicares como é possível eu talvez consiga entender, mas com a ausência das tuas palavras a única coisa que tenho é o teu silêncio e isso só me leva a um caminho.
Vou abrir o meu coração para ti, como sempre esteve e tu nem sempre o conseguiste ver. Eu continuo aqui, à espera de todas as mesmas sensações, de todas as coisas que me fazem sentir bem e é complicado que se possam substituir, continuo à espera daquele abraço que me faz parar o coração e desejar que tal nunca deixe de existir. Guardei-te só para mim, só para o meu coração, mas a realidade é que a minha mente ainda te chama, ainda chama por ti nas noites que sinto a tua ausência, na falta que os teus olhos fazem nos meus. Como é possível? Como é possível que continues tão "activo" assim em mim? Vejo-te e olho-te, mas os meus olhos querem mais e os meus sentimentos continuam tão presentes que é (quase) impossível não te incluir neles.
Apenas numa frase: Preciso de ti, e preciso que precises de mim de qualquer maneira, mas sem silêncios.
Serás sempre tu, mesmo que eu não o queira. Irás entrar no meu pensamento quando eu não estiver à espera, farás do meu coração teu quando assim o precisares e eu estarei aqui, para te ajudar sempre a levantar de todas as tuas quedas. Mas não me dês mais a ausência das tuas palavras, da tua voz.

(Continuas sempre em mim e mesmo que faça tudo esse "tudo" nunca será o suficiente para me afastar de ti).

2 comentários:

Mafalda disse...

já tinha saudades!

Isabel Guilherme disse...

Oh ,muito obrigada (:
vou seguir-te também *.*
o teu blog é realmente fantástico ! *.*